O que é segurança eletrônica?

Neste artigo, você descobrirá o que é segurança eletrônica e quais são os equipamentos que compõem o seu sistema

segurança eletrônica

Você já visitou algum condomínio residencial ou comercial que possuía câmeras de segurança, sistemas de controle de acesso e alarmes?

Esses são alguns equipamentos bastante comuns para aumentar a segurança de ambientes e instalações.

Todos eles fazem parte do que chamamos de “segurança eletrônica”.

Mas você sabe o que segurança eletrônica significa? Sabe quais são seus objetivos e quais equipamentos fazem parte da sua definição?

Nesta matéria, nós vamos abordar todos esses tópicos e tirar todas suas dúvidas sobre o assunto. Confira!

Conceito de segurança eletrônica

A segurança eletrônica é um ramo do mercado que tem como objetivo promover a segurança, proteção e monitoramento de um determinado ambiente através do uso de equipamento e sistemas tecnológicos.

Através da segurança eletrônica, busca-se monitorar pessoas, estabelecimentos e bens ou valores.

Os equipamentos eletrônicos utilizados devem ser integrados com um sistema, de modo que qualquer pessoa que faça o monitoramento ou sua utilização consiga ter uma ampla visão da situação e agir preventivamente.

Desta forma, nota-se que o ser humano tem uma participação essencial na segurança eletrônica, já que ele fará uso dos equipamentos, seja de forma presencial ou remota.

Para criar um sistema de segurança eletrônica, são utilizadas câmeras, alarmes, softwares, controles de acesso, automatização de portas e portões, entre outros equipamentos.

A importância de conhecer o que é a segurança eletrônica surge a partir de uma ineficiência estatal em utilizar a segurança pública para defender todos os cidadãos com força policial.

Assim sendo, sistemas de segurança eletrônica tornam-se necessários no dia a dia de várias pessoas, empresas e condomínios.

Funcionamento da segurança eletrônica

Conforme mencionado acima, a segurança eletrônica necessita da utilização de algumas tecnologias para funcionar.

Esses equipamentos eletrônicos sofrem constante mudanças e inovações, de modo que, atualmente, o seu manuseio ou o monitoramento das informações coletadas pode se dar remotamente.

Com a utilização desses aparelhos, o operador responsável pode atuar de forma preventiva, inibidora ou repressiva, nos casos em que uma ameaça foi concretizada.

Finalidades da segurança eletrônica

Existem três objetivos principais da segurança eletrônica.

São eles: prevenir, detectar e comunicar/responder ao ato. 

Confira cada um deles abaixo.

Prevenir

A finalidade da prevenção ocorre por conta da dissuasão que os sistemas de segurança eletrônica passam para eventuais criminosos.

Nesses casos, o criminoso que está considerando assaltar ou invadir algum local pensará duas vezes se perceber que ali existem câmeras, alarmes ou acesso controlado.

Desta forma, a segurança eletrônica inibe esse comportamento ilegal e neutraliza a intenção criminosa.

Detectar

O objetivo de detecção da segurança eletrônica acontece por meio de alarmes, sensores e câmeras que identificam a presença de pessoas não autorizadas em determinados lugares.

Com esses equipamentos, é possível identificar possíveis ameaças e planejar ações e respostas rápidas a partir do que foi detectado.

Comunicar e responder ao ato

Essa finalidade consiste em duas etapas.

A primeira delas é a comunicação às autoridades competentes de que há alguma violação ou crime ocorrendo no local, após detecção pelos sistemas de segurança eletrônica.

Os proprietários ou responsáveis pelo local também devem ser comunicados acerca das ocorrências.

A segunda etapa consiste na resposta ao ato ilegal, indesejado ou criminoso que foi identificado.

Nesses casos, as forças de segurança (sejam eles policiais, seguranças, vigilantes) devem responder de forma rápida para evitar qualquer dano às pessoas e às instalações físicas do ambiente.

Outras finalidades da segurança eletrônica

Com os equipamentos tecnológicos utilizados, a segurança eletrônica pode assumir um papel essencial em investigações.

Isso acontece porque as imagens e áudios gravados podem servir como prova de ocorrência de crimes e também auxiliam na identificação dos criminosos.

O mesmo ocorre em casos civis, como, por exemplo, para identificar algum dano que ocorreu na garagem de um condomínio ou no estacionamento de um prédio comercial.

Outra finalidade da segurança eletrônica também envolve o rastreamento de cargas e veículos. Com isso, objetiva-se proteger cargas de elevado valor, evitando-se potenciais ameaças.

Equipamentos de segurança eletrônica

Os principais equipamentos de segurança utilizados pela Minha Portaria são as câmeras de segurança, os alarmes, os controles de acesso e a automatização de portas e portões.

Eles compõem o que chamamos de pilares da portaria remota, e falaremos abaixo sobre cada um deles.

Câmeras

As câmeras normalmente são utilizadas para circuitos fechados de TV (CFTV), monitorando lugares restritos, como escritórios, consultórios, condomínios.

Elas são equipamentos eletrônicos que realizam gravação de imagem e áudio em tempo real, destinando-se as gravações para uma nuvem ou outro sistema de arquivamento.

câmera de segurança

Atualmente, as câmeras de segurança e monitoramento possuem diversas tecnologias, como a infravermelho, por exemplo, conseguindo gravar imagens em alta definição e durante a noite.

Por isso, as câmeras são uma parte essencial em um projeto de segurança eletrônica.

Para saber mais sobre quais tipos de câmeras existem, confira esta matéria aqui.

Controle de acesso

As tecnologias de controle de acesso servem para manter um controle nas entradas e saídas dos estabelecimentos e condomínios residenciais e comerciais.

Elas também são chamadas de sistemas de identificação, pois, através delas, os moradores ou funcionários são identificados por meio de equipamentos que liberam facilmente o seu acesso.

leitor de QR code

Alguns exemplos são leitor facial, chave de acesso, leitor de TAG ou biometria.

Em se tratando de visitantes, normalmente os interfones são utilizados para iniciar uma comunicação com uma central de monitoramento, ou, então, é realizada uma triagem presencialmente e criado um cartão de TAG provisório para acessar um estabelecimento.

Para saber mais sobre quais tecnologias de controle de acesso existem, clique aqui.

Automatização de portas e portões

Implantar portas e portões automatizados nos acessos dos ambientes é uma das formas de garantir que somente tenham acesso as pessoas autorizadas.

Isso porque somente com uma tecnologia de controle de acesso é que as portas ou portões poderão ser liberadas.

Caso contrário, como o procedimento é validade eletronicamente, evita-se a entrada de pessoas indesejadas, através do bloqueio do acesso.

Alarmes

Os sistemas de alarme também são uma parte importante na hora de se planejar a segurança eletrônica de um local.

Os alarmes são responsáveis pela segurança perimetral e também interna de diferentes ambientes, e estão ligados a uma central que recebe as informações por eles detectadas.

Seu sistema é composto de painéis, sirenes, sensores, botões de pânico e baterias que alimentam a central de alarme.

A partir do momento em que estão ativos, os alarmes alertam sobre violações nos locais protegidos, bem como outras circunstâncias indesejadas.

Além de alertar sobre possíveis práticas criminosas, os alarmes também podem ter a finalidade de detectar incêndios e evitar maiores danos à integridade física das pessoas.

Por isso, é importante que eles sejam instalados em locais estratégicos e que exista um planejamento para integrar todos os equipamentos de segurança eletrônica escolhidos para um determinado ambiente.

Além de todas as tecnologias mencionadas acima, nós destacamos que existem outras, como aplicativos e softwares de integração dos sistemas de segurança eletrônica, sensores de temperatura, de impacto, de vibração, sistemas de rastreamento, etc.

No vídeo ao lado, divulgado no canal do Youtube da MinhaPortaria.Com, você pode conferir a explicação de Anselmo de Oliveira, responsável pelo departamento de segurança da empresa, sobre os equipamentos de segurança eletrônica. Confira!

Segurança eletrônica em condomínios

Nos últimos anos, os sistemas de segurança eletrônica se tornaram uma boa opção para os condomínios.

Através da portaria remota e dos equipamentos que a integram, tais como, câmeras de segurança, interfones, controles de acesso, os condomínios passam a ter mais segurança para os moradores, bem como acabam por diminuir os gastos no boleto condominial.

Isso ocorre porque, com a portaria remota, deixa-se de existir um porteiro físico no condomínio e, com isso, acabam os gastos com folha de pagamento de funcionários.

Em pouco tempo, as tecnologias permitem que o valor pago ao condomínio reduza em até 50% no boleto de cada morador. Você pode conferir depoimentos de síndicos que contrataram a portaria remota da Minha Portaria clicando aqui.

Ficou com alguma dúvida sobre o que é segurança eletrônica? Mande um whats para nós! É só clicar no ícone do aplicativo no canto direito da página.

Gostou desse artigo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário