Franquia de portaria remota: o que é e como funciona?

Confira todos os pontos mais importantes sobre o que é uma franquia de portaria remota e como ela funciona

franquia de portaria remota

Você sabe o que é uma franquia? Tem alguma ideia de como uma franquia de portaria remota funciona?

Certamente, em sua cidade, você já deve ter visto em shopping centers ou em prédios comerciais, o funcionamento de franquias do McDonalds, Chilli Beans, Cacau Show, Boticário…

No ramo da segurança eletrônica e tecnologia, as franquias também existem e estão cada vez mais em crescimento. Um exemplo disso são as franquias de portaria remota.

Esse modelo de negócios, presente em várias empresas de portaria virtual, inclusive na Minha Portaria, tem feito sucesso no Brasil e difundido o tema de “portaria remota” para mais e mais condomínios no país.

Diante disso, nós abordaremos, na matéria de hoje, os conceitos de franquia de portaria remota, os tipos de franquias, taxas de franqueados e como uma franquia funciona. Confira!

O que é uma franquia de portaria remota?

Uma franquia é um modelo de negócio criado e regido pela Lei 13.966/19.

Através dessa lei, é possível alcançar a definição de franquia de portaria remota como um sistema através do qual uma empresa franqueadora autoriza, por meio de contratos e pagamentos de taxas, um franqueado (pessoa física ou jurídica), a comercializar seu produto e serviço.

como funcionam as franquias

Em outras palavras, uma franquia de portaria remota irá vender a tecnologia em questão na sua região, utilizando o nome e a solução da “empresa-mãe” de portaria virtual.

De uma forma mais simples de compreender, uma franquia de portaria remota é um “CTRL C + CTRL V” da empresa-mãe, ou seja, um “copia e cola” da sua estrutura e forma de negócio.

Através de uma autorização contratual, a empresa de portaria remota permite que seus franqueados comercializem seus produtos e fornece todo o seu conhecimento, treinamento, suporte, know-how e estrutura.

Aquele que tem interesse em abrir uma franquia de portaria remota normalmente precisa investir um valor inicial que contemplará as taxas da empresa franqueadora, instalações, equipamentos e até mesmo de funcionários.

Algumas das responsabilidades de um franqueado de portaria remota envolvem investir (e reinvestir) no negócio escolhido; responsabilizar-se pelos resultados financeiros da franquia; gerenciar suas equipes e pessoal; remunerar o franqueador conforme as taxas contratadas, entre outras.

No vídeo ao lado, Walter Uvo, CEO da MinhaPortaria.Com, explica mais sobre esse modelo de parceria da empresa, através de franquias de portaria remota.

Você pode conferir mais sobre o perfil do franqueado e como escolher a melhor franquia de portaria virtual clicando aqui.

Quais são os tipos de franquias que existem?

Para entender como as franquias de portaria remota funcionam, é importante compreender que existem diferentes tipos de franquia.

Atualmente, existem várias modalidades, as quais, inclusive, podem ser amoldados às franquias de portaria remota.

Abaixo, vamos discorrer sobre cada um dos modelos e suas características.

Microfranquia

Também chamadas de franquias baratas, são franquias de baixo valor de investimento, alcançando no máximo noventa mil reais (R$ 90.000,00).

Nesse tipo de franquia não é exigido um ponto comercial físico, podendo inclusive operar de forma online/virtual.

A microfranquia tem uma atuação mais simplificada e o retorno sobre o valor investido costuma ser mais rápido.

As diferenças de uma microfranquia com relação aos demais tipos são por conta do tamanho e complexidade operacional.

Assim sendo, se o investimento inicial para abrir uma franquia de portaria remota não passar de noventa mil reais, ela pode ser considerada microfranquia.

Franquias virtuais

Esse tipo de franquia opera, como regra, de forma online. Sua atuação se assemelha a de um e-commerce ou uma agência virtual.

Normalmente, as franquias virtuais estão relacionadas com áreas de tecnologia ou vendas.

Nesses casos, o franqueado pode trabalhar “de casa”, em regime home office, pois tem local e horário de trabalho flexível.

Mulher consultando celular e notebook.

As franquias virtuais, assim como as microfranquias, também são consideradas de baixo custo, afinal, não necessitam de um ponto físico para funcionarem e nem de altos gastos com mão de obra.

Esse modelo de franquia vem se mostrando uma boa opção nos últimos anos, diante do crescimento do consumo via internet e compras online.

Franquia unitária

Esse tipo de franquia é tido como um dos mais comuns do mercado.

Nesse caso, o franqueado recebe a autorização da empresa franqueadora para abrir uma franquia em uma determinada região, de modo que não sofra concorrência com outros parceiros da mesma marca.

Com uma franquia unitária, essa autorização da empresa franqueadora abrangerá toda a região delimitada, ou seja, o franqueado pode abrir vários pontos comerciais pelo local selecionado.

Mas, é claro, isso varia conforme o que for contratado entre as partes, podendo haver divergências, na prática, sobre a abertura de mais de uma franquia ou loja pelo franqueado naquele local.

Quando comparada à microfranquia e a franquia virtual, a franquia unitária exige um investimento mais alto, geralmente por conta da necessidade de manutenção e instalação de equipamentos e criação de um espaço comercial.

retorno sobre investimento em franquias

Máster-franquia

A máster-franquia, dentro todos os modelos que existem, é aquela que requer maior investimento financeiro por parte do franqueado.

Esse tipo de franquia acaba se tornando comum para aquelas empresas que desejam levar seu negócio para o exterior ou, ainda, expandir a marca para outros Estados.

Nesse modelo de negócio, o franqueado possui maior expertise na área, de modo que recebem da empresa franqueadora a oportunidade de expandir e buscar novos investidores em uma região, bem como abrir novas unidades de franquias sob seu comando.

Se o franqueado encontrar novos empreendedores na região, ele é considerado “dono” daquela região e empreendedor principal, ou seja, receberá parte da taxa de franquia e royalties cobrados dos outros franqueados daquela área.

Tipos de taxas cobradas dos franqueados

Depois de compreender os tipos de franquias – e que podem inclusive funcionar dentro de uma franquia de portaria remota, a depender da negociação das partes –, falaremos sobre os tipos de taxas que podem ser cobrados pela empresa franqueadora. 

Taxa de franquia

Essa é a primeira taxa cobrada do franqueado. Ela funciona como uma “taxa de inscrição” ou “taxa de matrícula” por aderir ao negócio da empresa franqueadora.

Com o pagamento dessa taxa, a empresa franqueadora transfere às suas franquias a sua expertise e know-how da área, que pode ser no ramo de portaria remota.

pessoa pagando por uma franquia

Além disso, nessa taxa estão inclusos outros itens, tais como:

  • Treinamento e capacitação do franqueado
  • Manuais operacionais e suporte ao franqueado
  • Instalações e implantações
  • Assistência técnica e de projetos
  • Demais ações iniciais que auxiliem e viabilizem a operação da franquia.

A taxa de franquia é cobrada da franquia de portaria remota, em regra, uma única vez, no momento da assinatura do contrato. Entretanto, ela pode vir a ser cobrada novamente em caso de renovação do contrato.

Essa taxa também pode ser conhecida como taxa de licença ou taxa inicial.

Vale destacar que essa taxa pode ser negociada e não vir a ser cobrada das franquias de portaria remota.

Nos casos em que não houver cobrança da taxa, muito provavelmente há o interesse da empresa em expandir de forma rápida suas franquias, tornando o modelo de negócio mais atrativo aos interessados.

Mas, é claro, mesmo que não cobre a taxa, a empresa também precisa se responsabilizar em oferecer todo o conhecimento e suporte ao franqueado, por conta da Lei das Franquias.

Taxa de royalties

Essa taxa é cobrada pelo uso contínuo da marca e da expertise da empresa franqueadora, enquanto durar a parceria.

O costume é que, quando cabíveis, as taxas de royalties sejam cobradas mensalmente das franquias de portaria remota.

Seu cálculo é feito com base em uma porcentagem do faturamento (bruto) daquela franquia em questão.

Normalmente, essa porcentagem varia entre 4% a 10%; mas, dependendo do ramo, como o de alimentação, ela pode variar de 20% a 40%, em razão das compras realizadas no período do mês.

O valor arrecadado em razão da cobrança da taxa de royalties pode ser destinado para:

  • A empresa franqueadora criar pesquisas para novos serviços, consumidores, regiões;
  • Melhoria constante do negócio ou produto oferecido
  • Cobrir despesas da empresa franqueadora com ações em prol das franquias de portaria remota, como, por exemplo, treinamento, convenções, atualização de manuais…
  • Uso da marca e do know-how
  • Tecnologias novas oferecidas pela empresa franqueadora, entre outras.

De qualquer forma, as taxas de royalties são uma opção para as empresas cobrarem de suas franquias de portaria remota, a fim de alcançar melhores tecnologias, produtos e serviços.

Taxa de propaganda

Essa taxa também é chamada de “taxa de marketing”.

A taxa de propaganda é entendida como um valor pago à empresa franqueadora em razão das ações de marketing realizadas para divulgar toda a rede e as franquias de portaria remota.

Em outras palavras, ela sustenta o “marketing institucional” da empresa.

Algumas ações que estão incluídas na taxa de propaganda são: divulgação de produto e serviço; estratégias de marketing; ações institucionais; campanhas nacionais ou regionais de promoção da empresa e franquias.

marketing portaria remota

Sua cobrança pode ser feita através de um valor fixo, cobrado mensalmente, ou baseado em uma porcentagem do faturamento de cada franquia.

Quando cobrado com base no faturamento da franquia de portaria remota, a porcentagem costuma variar entre 2% a 5%.

Esse fundo de valores criado para as ações de marketing é considerado propriedade dos franqueados.

Isso quer dizer que os responsáveis pelas franquias de portaria remota podem e devem ter acesso a todas as informações relacionadas ao fundo, às movimentações e aos gastos realizados.

Taxa de sistema

Nos casos em que a taxa de sistema é cobrada, ela envolve o uso e manutenção de tecnologias e softwares utilizados pelas franquias de portaria remota.

Ela não é cobrada por todas as empresas franqueadoras e seu valor pode ser fixo ou variável.

O importante é analisar o contrato de parceria e de abertura de franquia de portaria remota e verificar a incidência ou não desta taxa, bem como quais despesas ela irá cobrir.

Taxa de serviço

A taxa de serviço costuma ser cobrada quando a empresa franqueadora efetua um serviço não planejado, imprevisível,  em uma de suas franquias.

Vale destacar que esse serviço é “um extra”, ou seja, não deve estar incluso em outras taxas já cobradas da franquia de portaria remota.

Normalmente, essa taxa envolve situações imprevistas, e pode abranger assistências em geral.

O valor cobrado da franquia de portaria remota irá depender de cada situação e serviço em questão.

Como funciona uma franquia de portaria remota

Depois de estipulado o tipo de franquia entre o interessado e a empresa franqueado, bem como todas as taxas que serão cobradas e tudo que envolverá o contrato entre as partes, nós passamos para o funcionamento da franquia de portaria remota.

Primeiramente, o franqueado será treinado para atuar na área de portaria remota.

Essa capacitação será fornecida pela empresa de portaria remota, na qual ela transmitirá todo o seu conhecimento e expertise ao franqueado.

Depois, conforme o contrato, a empresa franqueadora prestará todo o suporte de instalação e implantação do serviço na região escolhida para a franquia de portaria remota.

Após ser instalada, a franquia irá operar “como se fosse” a empresa de portaria remota. Ela atua como uma extensão da franqueadora.

Todos os serviços e produtos serão oferecidos pela franquia de portaria remota com o nome e a marca da empresa franqueadora.

O que precisa ser definido entre as partes é com relação à prestação do serviço final, que envolve o efetivo atendimento e monitoramento dos condomínios ou empresas atendidos por portaria remota.

Esse serviço pode ser realizado pela própria empresa de portaria remota, ou, então, pode ser cedido para as franquias instalarem centrais de monitoramento em sua unidade e realizarem, por sua conta, a prestação do serviço final.

Se você busca uma oportunidade de crescer no ramo de segurança eletrônica e tecnologia, abrir uma franquia de portaria remota pode ser o que estava faltando para você alcançar o sucesso.

No vídeo ao lado, Marcelo Paulino, responsável pelo departamento de parcerias da MinhaPortaria.Com, esclarece todos os benefícios de uma franquia de portaria remota. Confira!

Você conseguiu entender o que é uma franquia de portaria remota e como ela funciona? Se ficou alguma dúvida, mande um whats para nós! É só clicar no ícone do aplicativo no canto direito da página.

Gostou desse artigo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário