Tecnologias de controle de acesso para portaria remota

Confira, nesta matéria, quais os tipos e tecnologias de controle de acesso que você pode escolher na hora de implantar portaria remota no seu condomínio

Nos últimos meses, principalmente em decorrência da pandemia do Covid-19, houve um aumento no número de condomínios que instalaram alguma tecnologia de controle de acesso remoto. 

De fato, um dos principais fatores que motivou esse aumento foi a questão de segurança – do condomínio, dos moradores e, também, dos operadores de portaria remota.

Mas, em circunstâncias normais, as tecnologias de controle de acesso também tem muito a agregar na vida condominial.

Isso porque, além da segurança, os controles de acesso remoto:

  • compartilham a ociosidade do porteiro atual;
  • facilitam e agilizam a liberação de entrada e saída de moradores;
  • seguem protocolos eletrônicos pré-estabelecidos, minimizando, assim, os riscos de acontecerem erros ou burlas ao sistema

Se você é síndico ou morador e gostaria de compreender melhor quais são os tipos de controle de acesso que você pode escolher para o seu condomínio ao contratar os serviços de portaria remota, então esse artigo é para você.

Confira abaixo 6 tecnologias de controle de acesso para portaria remota.

Controle de acesso #1: Leitor facial

O controle de acesso através de leitor ou reconhecimento facial é uma tecnologia que se tornou mais útil e mais barata durante a pandemia.

Ela funciona da seguinte forma: um leitor facial é instalado nas portas de acesso do condomínio, o qual terá uma câmera que irá detectar e reconhecer o rosto dos moradores. 

Portaria Remota: Leitor Facial

O processo de leitura do rosto pelo sistema de controle de acesso terá mais êxito se o morador olhar diretamente para a câmera. 

Em seguida, a câmera irá capturar uma foto da pessoa em questão, a qual será analisada e comparada com os arquivos armazenados na base de dados, habilitando ou não a entrada do visitante.

Vale ressaltar que, hoje em dia, a tecnologia de controle de acesso por leitor facial é muito mais avançada, pois permite a leitura em 3D e validação de um rosto vivo. 

Para você ter uma noção, antigamente, os leitores faciais conseguiam fazer leitura de imagens e fotografias e isso era suficiente para liberar o acesso das pessoas. A tecnologia realmente evoluiu, não é mesmo?

Outra questão interessante sobre o controle de acesso por leitura facial é que ele pode ser feito em conjunto com o tags ou biometria de dedo (finger print), para garantir o reconhecimento.

Confira ao lado o vídeo disponibilizado no canal do Youtube da MinhaPortaria.com, em que Walter Uvo, Diretor de operações da empresa, explica, na prática, como funciona o acesso por reconhecimento facial.

Se você quiser saber mais sobre como o leitor facial funciona, confira esta matéria dedicada ao assunto.

Controle de acesso #2: Chave virtual

O controle de acesso por chave virtual veio para inovar e facilitar a rotina condominial.

Através dessa tecnologia, o morador ou visitante não precisa interagir com um sistema de controle de acesso ou leitor existente nas portas do condomínio.

Isso acontece porque o leitor da chave virtual é feito sempre pelo seu dispositivo celular, através de um aplicativo de portaria remota específico.

Chave Virtual já está no app da Minha Portaria

Mas é importante destacar que a liberação do acesso pela chave virtual não pode ser feita de qualquer lugar: o usuário precisa estar há pelo menos 100 metros de distância (ou menos) do condomínio, para que as portas sejam abertas.

Isso é importante para que não aconteçam liberações indevidas ou por engano, através do aplicativo, caso o morador esteja longe de casa.

Com o controle de acesso por chave virtual, o morador de condomínio com portaria remota consegue fazer apenas um acionamento de uma porta por vez, sendo que somente as portas principais do prédio estão vinculadas à essa tecnologia e podem ser liberadas por ela.

Outra facilidade da chave virtual está relacionada ao acesso de visitantes. O morador consegue encaminhar a chave virtual de acesso para o seu convidado e definir o período ou horário do dia em que esta chave estará disponível para ser utilizada.

Muito prático, não é mesmo?

Para saber mais como a chave virtual funciona na prática, confira, ao lado, o vídeo disponibilizado no canal do Youtube da MinhaPortaria.Com.

Se você quiser se aprofundar na tecnologia de controle de acesso por chave virtual, pode conferir esta matéria sobre o tema.

Controle de acesso #3: Leitor biométrico

Também chamado de finger print ou biometria de dedo, o leitor biométrico é uma tecnologia de controle de acesso para portaria remota, utilizada para medir as características do corpo, mais especificamente, do dedo, da digital das pessoas

Essa facilidade passou a baratear com o tempo e se tornou bastante utilizada em condomínios residencias.

Leitor biométrico

Quando o condomínio optar pelo leitor biométrico, o ideal é associá-lo à outros tipos de controle de acesso, trabalhando com duas tecnologias ao mesmo tempo. 

Uma forma de fazer isso, por exemplo, é validar o acesso do morador pela biometria e pelo leitor de tag

Isso é importante porque, muitas vezes, existem moradores ou funcionários do condomínio que são idosos ou que trabalharam com produtos de limpeza, até mesmo giz, e possuem falhas em suas digitais. E isso, claro, influencia na leitura da digital pelo equipamento.

Vale lembrar que isso é uma característica do leitor biométrico, e não uma falha no serviço. Para saber mais sobre essa tecnologia de controle de acesso para portaria remota, clique aqui.

Controle de acesso #4: Leitor de tag

Muitas pessoas conhecem o controle de acesso por tags como “chaveirinho”, “chaveiro por aproximação” ou “chave digital”. Inclusive, a tecnologia das tags também é muito utilizada em cartões de créditos e outros métodos de pagamento por aproximação.

De fato, quando falamos em controle de acesso, as tags são um dispositivo em forma de chaveiro e cada morador possui o seu.

Para liberar o acesso, o morador precisa aproximar a tag do leitor instalado na portaria do condomínio, e esta tag será lida por meio de radiofrequência (RFID).

Para quem utiliza esse tipo de controle de acesso, é importante se proteger e garantir que a tag esteja só com você, pois esse tipo de tecnologia é clonável.

Mas, é claro, quando comparada ao acesso por senha, a tag é um pouco mais segura, pois, se você perder o seu chaveiro, existe a possibilidade de entrar em contato com a Minha Portaria e solicitar o seu bloqueio.

Isso quer dizer que, mesmo que alguém encontre sua tag, essa pessoa não conseguirá acessar o condomínio, pois o acesso estará cancelado.

Portanto, a dica para quem utiliza o controle de acesso por tags é tomar cuidado na hora de guardar o seu chaveiro e sempre comunicar em caso de extravio.

Controle de acesso #6: Leitor de QR code

Tal como as tags, os leitores de QR Code se popularizaram em todo o mercado. 

Hoje em dia, você pode fazer pagamentos, acessar mais informações sobre produtos e, claro, liberar sua entrada em um condomínio com QR Codes.

Através dessa tecnologia de controle de acesso, será instalado um leitor nas portas de entrada do condomínio.

Com o aplicativo de portaria remota no dispositivo celular do morador, ele poderá gerar um código de imagens (o QR Code) e aproximá-lo do leitor, que irá validar o seu acesso.

Isso quer dizer que, toda vez que for necessário ingressar no prédio, o morador pode acessar o aplicativo, gerar o código, e ter seu acesso liberado através do leitor de QR Code.

Esse tipo de controle de acesso também é muito útil para permitir a entrada de visitantes ou prestadores de serviço, pois o morador pode gerar o código, enviar ao seu convidado, o qual, por sua vez, irá apresentá-lo ao leitor e terá sua entrada liberada.

E o controle de acesso por senha numérica?

A resposta é: não faça isso!

O acesso por senha numérica é menos seguro no mercado condominial.

Quando um cliente entra em contato com a MinhaPortaria.Com para instalar os serviços de portaria remota, nós já eliminamos, inicialmente, a possibilidade do controle de acesso ser feito por senha numérica.

Esse sistema é falho, pois qualquer pessoa pode decorar sua senha e passá-la adiante. E, às vezes, você nem sabe que a perdeu, colocando a si mesmo e aos outros moradores em risco.

Por isso, lembre-se: quando for contratar portaria remota, utilize outra tecnologia de controle de acesso, e não a de senha numérica!

Inteligência artificial nos condomínios

Como foi possível perceber, existem vários tipos de controles de acesso que um condomínio pode optar na hora de contratar portaria remota.

E todos eles se relacionam em um aspecto: todos possuem registro das informações, armazenam todas as entradas e saídas de moradores e um histórico das ações realizadas.

Isso está estritamente vinculado com o tema de inteligência artificial em condomínios, que nada mais é do que tecnologias e processos que:

  • Automatizam entradas de moradores;
  • Detectam ações suspeitas;
  • Preveem e minimizam riscos;
  • E, claro, aplicativos que facilitam a rotina condominial e os atendimentos de suporte.

Em outras palavras, inteligência artificial é uma ferramenta tecnológica que surge para facilitar o dia-a-dia e automatizar processos do condomínio.

Você pode ficar por dentro do tema de inteligência artificial para condomínios e de outras matérias sobre controles de acesso para portaria remota acessando nossos outros posts do blog.

O que você achou do conteúdo? Ficou alguma dúvida? Mande um whats para nós! É só clicar no ícone do aplicativo no canto direito da página.

Gostou desse artigo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário