Como vender Portaria Remota: Franquia, Parceria ou Unidade Própria?

Divulgação para vender Portaria Remota.
Para vender Portaria Remota, você pode se utilizar de franquia, parceria ou unidade própria.

Esse post é destinados às pessoas ou empresas que pretendem, de alguma forma, atuar com portaria remota, seja com vendas, na parte técnica ou até mesmo no atendimento.

Para fazer isso, as pessoas buscam um modelo de negócios para se encaixar no mercado de portaria remota, os quais podem ser através de franquia, parceria ou unidade própria.

Primeiramente, é fundamental dizer que Portaria Remota é um trabalho de altíssima responsabilidade e de alto nível de complexidade.

Assim sendo, o melhor caminho inicial é buscar um modelo de mercado ideal para você e seguir junto.

As empresas que atuam hoje já possuem uma certa experiência e, com isso, já entregam uma solução de portaria remota consolidada e estável.

Sem dúvidas, isso leva aos moradores mais segurança e confiabilidade na operação.

Por isso, sempre pense que, em primeiro lugar, deve vir a segurança dos moradores e do condomínio, e, somente depois, a redução de custos.

Você pode saber mais sobre o que é portaria remota neste artigo, e sobre o selo de qualidade da ABESE nesta outra matéria.

Afinal, o que fazer: vender Portaria Remota através de franquia, parceria ou montar uma operação?

Pois é , essa é uma pergunta sobre a qual sempre somos questionados e a minha posição é muito clara: para vender portaria remota, JUNTE-SE A UM PARCEIRO!

Vamos entender aqui o por que disso.

O mercado de portaria remota tem crescido rapidamente.

Isso ocorre porque as leis trabalhistas brasileiras são desfavoráveis de tal forma que, nas contas de um condomínio, 80% dos recursos são destinados à folha de pagamento.

Por conta disso, os condomínios acabam buscando alternativas para reduzir os custos fixos mensais…

…e uma das opções é instalar o sistema de portaria remota no prédio.

Nesse sentido, muita empresa nascerá e morrerá com esse movimento, e muitas soluções serão expostas como “a melhor solução do mundo” para surfarem nessa onda. Por isso, fique atento!

Para ter cautela, consulte a ABESE e saiba como essa associação pode te ajudar com portaria remota, clicando aqui e lendo esse post.

As franquias de portaria remota ou virtual

Todos os dias surgem novas empresas propondo o modelo de franquias para vender portaria remota.

Em muitos casos, o franquiador cobra uma taxa de franquia (taxa de adesão).

Essa taxa compõe parte do lucro da franquiadora, e outra parte da taxa é usada para custear treinamentos aos novos franquiados.

Além disso, sempre existirá uma taxa mensal de contribuição, que pode ser um valor fixo ou um percentual do faturamento, que também compõe o lucro da Franquiadora e que também pode ser usada em alguns casos, como para compartilhar uma ação de marketing.

Até então, não há nenhum problema nisso, porém não se fala muito que a latência para vender portaria remota e portaria virtual é grande.

Em alguns casos, levamos mais de 1 ano para efetivar uma venda de portaria remota, e o franquiado nem sempre tem fôlego e a resiliência necessária para isso.

Outro ponto fundamental é destacar que se os custos totais com a franquiadora passarem dos 10% do faturamento, entre aluguel de equipamentos, pagamento de royalties, custos e taxas diversas, esse negócio deixa de valer a pena.

Isso porque o mercado vem sofrendo uma enorme pressão para entregar cada vez mais serviços com qualidade e com o preço menor… e com isso as margens de lucro das empresas acabam diminuindo.

Dessa forma, a conta não fecha: o franqueado trabalha muito, e, no final do mês, não sobra nada ou muito pouco para justificar a continuidade do negócio da forma que está.

A Central Própria ou Estrutura Independente de portaria remota ou virtual

Esse é um caminho interessante para vender portaria remota, porém os custos envolvidos são enormes.

Além disso, a portaria remota e a portaria virtual fazem parte de um mercado novo, tanto tecnologicamente como operacionalmente, de modo que as armadilhas que surgem são diversas.

Não existe um modelo pronto, infalível e perfeito; o que vemos no mercado são diversas soluções.

Entre elas, umas mais enxutas, outras mais eficientes, outras mais rentáveis, algumas menos trabalhosas.

O que podemos concluir é que todos esses atributos juntos, em uma mesma operação, ainda não é possível encontrar.

Sabemos que todos prometem isso tudo junto na hora de vender portaria remota, mas na prática é muito diferente.

Sem dúvida, montar uma central própria ou uma estrutura independente para vender portaria remota é uma aventura e um exercício que requer muita atenção e cuidado.

Afinal, estamos falando de segurança e conforto dos moradores que confiam essa operação, nas mãos dessas empresas.

Parceria de Portaria Remota ou Virtual

Esse é o modelo de venda de portaria remota que mais me agrada.

Como trata se de um segmento novo – diria até embrionário diante do cenário que se apresenta -, a relação precisa ser de troca.

Essa Troca deve ocorrer entre Operação e Parceiros e entre o grupo de Parceiros uns com os outros, de tal sorte que todos ganham porque todos evoluirão juntos.

A evolução e o esforço colaborativo é o principal benefício desse modelo.

Dessa forma, sempre é possível chegar a melhor solução para todos, principalmente para o cliente final, usuário ou morador dos condomínios que possuem esse sistema de portaria remota ou portaria virtual.

O foco e as reuniões sempre precisam permear o sentimento comum de aumentar a segurança e reduzir custo, independentemente do modelo que buscar as premissas e excedências básicas do propósito precisam ser preservadas.

Onde a MinhaPortaria.Com entra nisso tudo?

Quando criamos a MinhaPortaria.Com, vislumbramos o desenvolvimento de um modelo de negócio conhecido no mundo como Social Business para as possíveis parceria de portaria remota ou virtual.

De acordo com a IBM, Social Business se trata como ocorre o deslocamento além das ferramentas de mídia social que você conhece atualmente para desbloquear o potencial das pessoas e obter vantagem competitiva.

Desse modo, assim como as redes visam criar conexões, é exatamente essa a função do Social Business. E igualmente como as redes sociais, o Social Business tem como premissa engajar comunidades (funcionários e clientes, empresa e funcionários, empresa e fornecedores etc.)

fonte: http://www.neomind.com.br:81/blog/social-business-colaboracao-dentro-das-empresas/

Você pode conferir abaixo outra definição de Social Business que elucida claramente a intenção do modelo de parceria proposta pela MinhaPortaria.Com:

Resumidamente, Social Business é a capacidade de uma empresa de produzir conhecimento de forma colaborativa, de gerir conhecimento, de compartilhar informações, de eliminar barreiras, de acelerar processos, de se aproximar de seus clientes, fornecedores e parceiros, de inovar. E aí está a diferença fundamental entre uma Rede Social e um Social Business. Construir uma Rede Social ligando pessoas é fácil. O grande desafio é ligar esta Rede aos processos de sua empresa. É fazer com que a Rede Social contribua de forma clara e efetiva para atender aos pontos acima, por exemplo.
Além de tudo isso, é fundamental entender que vivemos em um mundo em que “informação” deve ser adequadamente gerenciada e documentada. Um Social Business precisa ter condições de se adequar a regulamentações do governo ou de orgãos competentes. As tecnologias que suportam uma empresa social devem disponibilizar recursos para Governança e Auditorias.

fonte: http://fgfmendes.blogspot.com/2011/07/afinal-o-que-e-social-business.html

Social Business para Portaria Remota: Parceria Ganha-Ganha

parceria para vender portaria remota
parceria de portaria remota de forma colaborativa

Conheci esse modelo de negócio em uma viagem que fiz para Israel, em novembro de 2018.

Esse modelo se encaixou perfeitamente na nossa cultura e planejamento estratégico para venda de portaria remota.

A partir de então, começamos a reestruturar o modelo de parceria pra se enquadrar ao Social Business.

Enfim, nossa proposta é o Ganha-Ganha, onde o principal beneficiário é o morador do condomínio residencial: ele ganha mais segurança e redução de custo, porém tão importante quanto o cliente.

A pessoa ou a empresa que busca essa parceria conosco também ganha com uma estrutura sólida e um modelo consistente que não tem como propósito explorar o parceiro, mas, sim, promover o negócio de portaria remota ou virtual no Brasil todo.

Veja no vídeo abaixo nossos modelos de parceria para Portaria Remota e Portaria Virtual

Quer vender portaria remota ? Modelos de Parceria para Portaria Remota

O que acontece quando você se torna um parceiro de portaria remota ou virtual?

Uma vez efetivada o modelo de parceria de portaria remota, o que acontece ?

Para mais detalhes sobre os modelos de venda de portaria remota ou portaria virtual franquia parceria, mande um whats para nós! É só clicar no ícone do aplicativo no canto direito da página.

walter uvo diretor de operações minhaportaria.com
Walter Uvo Diretor de Operações MinhaPortaria.Com

Esse artigo foi escrito por Walter Uvo, Diretor de Operações da MinhaPortaria.Com

Gostou desse artigo? Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário