Desafios e tendências de mercado pautam abertura do Enacon 2019

Conflitos condominiais, novas tecnologias, inovação e perspectivas de crescimento estiveram em foco nos discursos

Teve início nesta quarta-feira, 9/10, a 15ª edição do Encontro Nacional das Administradoras de Condomínios (Enacon), que acontece no Espaço Milenium, na capital paulista, até amanhã. A solenidade de abertura contou com as participações dos presidentes do Secovi-SP, Basilio Jafet, e da Aabic (Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo), José Roberto Graiche; e do vice-presidente de Administração Imobiliária e Condomínios do Secovi-SP, Hubert Gebara.

Emocionado, Gebara destacou as características do evento e dos participantes, “pessoas desejosas de aprender e dispostas a compartilhar experiências e conhecimentos”. “Este é um encontro no qual vamos analisar, em detalhes, os temas mais relevantes que pautam nossas atividades, impactadas por um turbilhão de inovações e transformações que nos obrigam a estar com um pé no presente e outro no futuro”, afirmou. Para ele, o Enacon é a expressão dos nossos dias: “Tudo. Ao mesmo tempo. E agora.”

Segundo o vice-presidente do Secovi-SP, os empresários e os profissionais da área têm um papel decisivo para que o Brasil supere o ‘clima de guerrilha’ de narrativas que imperam na atualidade.  “Precisamos promover a paz nos condomínios”, disse. Entre as ações propostas para esta finalidade, citou: prestação de serviços que assegurem tranquilidade e confiança aos moradores e aos usuários, a busca de soluções para todos os tipos de problemas – da manutenção ao conflito entre vizinhos –, promoção da interatividade entre as pessoas e fortalecimento do contato sadio, produtivo e solidário entre os condôminos.  “As administradoras precisam, ainda, estar cada vez mais preparadas e qualificadas, conhecer as novidades que facilitam a prestação de serviços, estar em contato com informações consistentes e confiáveis para pautar novas iniciativas e, acima de tudo, devem se tornar importantes na vida de todos os moradores”, complementou. 

O presidente da Aabic (Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo), José Roberto Graiche, enfatizou o papel da tecnologia no novo modo de atuar das administradoras. Segundo ele, as empresas estão se preparando para oferecer o autoatendimento aos clientes, por meio da tecnologia de ponta, pois, dessa forma, vai sobrar tempo para se dedicarem mais à parte operacional dos condomínios. “Vivemos um desafio muito grande porque as administradoras se envolvem na operação de conflitos, devido ao fluxo intenso de moradores, prestadores de serviços etc. –, e também com as novas modalidades de locação, que estão nos ajudando a aprimorar a segurança dos empreendimentos”, enfatizou.

Entre as tendências da área, Graiche salientou a presença cada vez maior de estrangeiros no Brasil e, por consequência, nos condomínios. Durante a solenidade, ele citou um levantamento da própria entidade que mostrou um crescimento de 36% da população de estrangeiros no País no último ano. Destes, 1,2% são moradores de condomínios. “São pessoas que vêm em busca de emprego e ampliação da condição financeira da família.” O dirigente disse que a pesquisa revelou que, do público pesquisado, 29% são chineses, 21% americanos e 14% argentinos. Para ele, a informação pode subsidiar as empresas interessadas em atender esse tipo de demanda.

Já o presidente do Secovi-SP, Basilio Jafet, enfatizou a importância das administradoras de condomínios dentro da cadeia imobiliária. “Os incorporadores produzem seus empreendimentos, com todos os desafios e dificuldades, mas são as administradoras que acompanham os usuários por dezenas de anos. Vocês têm mais contato com as famílias do que os próprios construtores, incorporadores etc., e isso precisa ser ressaltado”, afirmou.

Entre as responsabilidades dos administradores destacadas por Jafet, estão as contas do edifício, os conflitos condominiais, o acolhimento das famílias e o entendimento de seus anseios, além da própria atualização profissional e o desenvolvimento da inteligência emocional – atributos imprescindíveis no mundo atual. “É preciso muita inteligência emocional para construir consensos”, completou.

Jafet citou a mais recente Pesquisa do Mercado Imobiliário de São  Paulo, divulgada ontem (8/10), que apontou grande recuperação do setor na capital paulista. “Significa que vocês terão de administrar brevemente mil novos edifícios, que vão se somar aos 30 mil já existentes na cidade. Trata-se, claro, de uma grande oportunidade.” Disse, ainda, que estar no Enacon, “onde todo este conteúdo é discutido e muito networking qualificado é oferecido, é extremamente proveitoso para todos”.

Uma exposição de produtos e serviços para o segmento condominial completou a programação do Enacon 2019, que contou com o patrocínio de Bradesco, Atlas Schindler, Intelbras, Comgas, Souza Lima, Vila Velha, Superlógica, Vivo, Empresta Capital, Graber, Group Software, Haganá, Jupiter, Limpidus, Techem, Aster, Pormade e Minha Portaria. Apoio institucional da Aabic (Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo), entre outras instituições representativas do setor imobiliário.

Gostou desse artigo? Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Deixe um comentário

RECEBA NOSSAS NEWSLETTER

Um periódico quinzenal com depoimentos e todas as novidades da Portaria Remota.

Bitnami